Governo da Paraba

 
Compostagem PDF Imprimir E-mail
Qua, 25 de Julho de 2012 23:47
AddThis Social Bookmark Button

ff155Frutas, verduras e folhagens do entreposto de João Pessoa, que antes eram destinadas ao aterro sanitário da Região Metropolitana da Capital, têm outro fim: compostagem - processo biológico em que os microrganismos transformam a matéria orgânica num material semelhante ao solo, a que se chama composto, e que pode ser utilizado como adubo de alto valor de elementos e nutrientes para plantações. Com esse trabalho, mensalmente, mais de 160 toneladas dos resíduos deixam de ir para o lixo. Contribuindo assim para a melhoria das condições ambientais e saúde da população.

         

Passo a passo

          Os resíduos são coletados dentro do mercado livre e levados até a plataforma na própria Empasa, onde ficam as caixas estacionárias para ser feita a separação dos sólidos e orgânicos. Então é feita a relação de carbono (difícil decomposição) e nitrogênio (fácil decomposição), utilizando palhas/folhagens/verduras/frutas ou hortaliças, durando cerca de 60 dias para a leira ficar pronta ao uso.

          A compostagem é um processo biológico em que os microrganismos transformam a matéria orgânica num material semelhante ao solo, a que se chama composto, e que pode ser utilizado como adubo. Quando adicionado ao solo melhora as suas características físicas, físico-químicas e biológicas, proporcionando mais vida ao solo, que apresenta produção por mais tempo e com mais qualidade. Contribuindo assim para a melhoria das condições ambientais e saúde da população.

          A técnica da compostagem é milenar praticada pelos chineses há mais de cinco mil anos. Nada muito diferente do que a natureza faz há bilhões de anos desde que surgiram os primeiros microorganismos decompositores, com a finalidade de acelerar com qualidade a estabilização (também conhecida como humificação) da matéria orgânica.

 

Campina Grande e Patos

          Segundo o presidente da Empasa, engenheiro agrônomo José Tavares Sobrinho, a intenção da central de abastecimento é ampliar o trabalho para os outros dois entrepostos existentes no Estado, Patos e Campina Grande, objetivando assim seguir as regras da natureza e destinando corretamente os resíduos. A tendência é envolver mais recursos humanos e assim atender outras secretarias afins, adianta o presidente.

           Os interessados em conhecer o desenvolvimento do trabalho gerador de tecnologia limpa podem procurar a Empasa pelo telefone 32186882 e agendar uma visita técnica. A central de abastecimento da capital paraibana (antiga Ceasa) fica na Avenida Raniere Mazilli, s/nº, Bairro do Cristo Redentor.

 
 


EMPASA - Empresa Paraibana de Abastecimento e Serviços Agrícolas

Av. Raniere Mazilli, s/n  –  Cristo Redentor – CEP: 58.071-000 - João Pessoa-PB.